Blog do Abilio Diniz

Arquivo : junho 2016

São Paulo vence no Morumbi, mas sai preocupado com Ganso
Comentários 2

Abilio Diniz

Uma vitória importante para o Campeonato Brasileiro, mas que deixa uma preocupação para a Libertadores na semana que vem. Assim podemos resumir o que foi o jogo entre São Paulo e Fluminense na noite desta quarta-feira, no Morumbi.

O placar de 2 x 1 colocou fim a um jejum de três jogos sem vitórias na competição e deixou o São Paulo, com 18 pontos, próximo aos líderes do Campeonato Brasileiro. Tudo estaria bem, não fosse a suspeita de lesão muscular de Ganso no final do jogo.

O São Paulo joga bem contra adversários mais fracos. O time leva vantagem e se impõe. Levir Culpi não está conseguindo organizar o time do Fluminense, que nesta quarta-feira fez mais uma partida ruim.

O Tricolor se aproveitou disso e foi muito superior. O time jogou bem e esteve mais compacto do que nas últimas partidas. A defesa foi firme e os meio-campistas estiveram mais espertos, se aproximando sempre dos atacantes.

O gol de João Schmidt, logo no começo do jogo, ajudou o São Paulo a tomar conta da partida. O time do Morumbi praticamente garantiu o resultado ainda no primeiro tempo, fazendo 2 x 0 com Alan Kardec, que não marcava havia três meses (17 jogos). Que esse gol sirva para dar confiança ao atacante do São Paulo. Acredito que ele ainda poderá ser muito útil na temporada.

No segundo tempo, o Fluminense diminuiu o placar, de pênalti, e ensaiou uma reação, mas o São Paulo se segurou sem maiores problemas e terminou o jogo com a vitória.

Se por um lado, existe a felicidade com o placar positivo, por outro, a partir de agora começa a preocupação. A dor muscular que Ganso sentiu no final da partida coloca em risco sua participação na partida da quarta-feira que vem contra o Atlético Nacional, pela semifinal da Libertadores.

Faltavam poucos minutos para acabar o jogo quando Ganso acusou o problema. O meia ainda ficou em campo porque o São Paulo já havia feito suas três substituições.

Uma pena. Esperamos todos nós são-paulinos que não seja nada tão grave e que ele se recupere a tempo.


Com méritos, Santos derrota São Paulo no Pacaembu
Comentários 10

Abilio Diniz

Foi uma bela vitória santista. O time muito bem dirigido por Dorival Júnior teve uma atuação bastante segura, conseguiu os 3 x 0 e chegou ao G4 com méritos.

E o São Paulo? Os otimistas e a turma dos cartolas da soberba, encastelados no Morumbi, vão dizer que o Tricolor jogou hoje com o time misto, repleto de garotos e que o importante é a partida da Libertadores daqui dez dias.

Tudo isso é verdade, mas é preciso atenção. Além da derrota de hoje, é bom lembrar também o recente empate sem gols contra o Sport, em pleno Morumbi.

Não se pode negar que o São Paulo deste ano é um agrupamento de bons jogadores. O plantel é muito acima da média dos 20 clubes que disputam o Campeonato Brasileiro, mas vemos um time desgovernado, que não tem um padrão de jogo definido, nem um esquema tático e muito menos uma jogada ensaiada. O time parece viver do famoso “chuveirinho”.

Venho falando isso há muito tempo. Nestes quase sete meses de trabalho, Edgardo Bauza tem como seu único mérito, a união dos jogadores. Ele conseguiu fazer com que os atletas joguem todas as partidas sempre com muita garra e valentia. A mudança de postura é nítida, graças ao trabalho dele. Mas é pouco, muito pouco.

Mas não chegamos à semifinal da Libertadores? Sim. Com méritos, o São Paulo está entre as quatro melhores equipes do continente. Porém é preciso analisar com atenção a qualidade dos adversários que o time teve pela frente. Na minha opinião, nenhum deles pode ser comparado ao Santos de hoje ou ao Audax que bateu o São Paulo por 4 x 1, ainda no Campeonato Paulista.

Entendo que, da maneira como as coisas se encaminham, o São Paulo terá a obrigação de ganhar a Libertadores. Para que isso aconteça, os são-paulinos terão que lotar o Morumbi e dar ainda mais força aos jogadores.

Os atletas precisam acreditar que temos condições de vencer, até porque os adversários na Libertadores não vêm jogando nada de excepcional. Ganso, por exemplo, pode garantir seu lugar na Seleção Brasileira com grandes atuações.

O São Paulo terá que se valer da sua força e do amor de seus torcedores.


São Paulo 0 x 0 Sport: Tricolor se complica no Morumbi
Comentários 8

Abilio Diniz

Apesar do resultado ruim para o São Paulo, achei o 0 x 0 contra o Sport um bom jogo de futebol no frio Morumbi.

Foi um primeiro tempo interessante, com muita velocidade e vontade. Um jogo agradável para assistir.

Desde o começo dava para notar a enorme diferença de qualidade entre os jogadores dos dois times. O São Paulo tem um grande elenco, com muito mais opções que o Sport. Essa qualidade maior permitiu ao Tricolor ter mais posse de bola e criar algumas chances claras de gol, mas o Sport foi valente e também teve oportunidade de abrir o placar.

O segundo tempo começou com grande pressão do São Paulo, mas novamente o time não conseguia marcar seu gol.

Kelvin saiu machucado, preocupando para a semifinal da Libertadores, dando lugar a Centurion, e Ítalo foi substituído por Alan Kardec, em duas trocas de seis por meia dúzia. Depois disso, Bauza tomou coragem e trocou um volante por um meia avançado, saindo João Schmidt para a entrada do garoto Luiz Araújo.

O São Paulo evoluiu e tentou muito, mas, com pouca eficiência, acabou ficando no empate em pleno Morumbi, contra um time que ocupa a zona do rebaixamento.

Não há como negar. Era um jogo para ganhar. Este resultado pode fazer diferença no término do Campeonato Brasileiro.


Vai voltar a alegria ao futebol brasileiro
Comentários 58

Abilio Diniz

Os brasileiros que, como eu, amam o futebol, precisam recuperar a autoestima e a alegria. Para que isso aconteça, necessitamos de vitórias e acho que, agora, temos chance que elas voltem.

Tite na Seleção Brasileira neste momento é, pelo menos, a volta da esperança. O momento exigia mudança e ela está aí.

Sempre é bom lembrar a frase de Einstein: “É insano fazer sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes”. A continuidade de Dunga à frente da seleção seria um grande erro; nada mudaria porque ele não mudaria. E ele não mudaria porque para mudar é preciso se abrir para aprender, e isso para Dunga não é fácil, porque ele acredita que já sabe tudo.

Estávamos no caminho de não nos classificarmos pela primeira vez para uma Copa do Mundo. A chegada de Tite garante a classificação? Claro que não. É preciso trabalhar, e muito. É preciso também que ele e a Seleção contem com o apoio e o carinho de todos os brasileiros.

Acompanho o trabalho de Tite e gosto muito. Sem desmerecer ninguém, o considero o melhor técnico brasileiro na atualidade. Acredito que, com ele haverá também um comprometimento muito maior dos jogadores com a Seleção.

Tive ocasião de estar com ele logo após o desastre dos 7×1 e admirei sua postura, mesmo depois de ter se preparado longamente para estar pronto para assumir esse desafio e ser preterido por um técnico que já tinha tido sua oportunidade.

Mesmo assim Tite não esmoreceu. Seguiu em frente e realizou um trabalho espetacular no Corinthians. Quantos jogadores perdeu nestes dois últimos anos? Apesar disto não desanimou, foi em frente e reconstruiu.

Tite, boa sorte. Que Deus ilumine seu caminho e que você faça retornar a alegria de torcermos todos pela Seleção Brasileira.


São Paulo não faz boa partida, mas traz empate contra Flamengo
Comentários 6

Abilio Diniz

Em um jogo bastante disputado, o São Paulo contou com a garra para garantir o empate com o Flamengo por 2 x 2, em Brasília. O ponto conquistado fora de casa manteve o Tricolor entre os cinco times mais bem classificados no Campeonato Brasileiro.

O Flamengo atuou melhor durante os noventa minutos, mas o São Paulo contou com a qualidade técnica de alguns de seus jogadores para ficar na frente do placar por duas vezes. Mesmo assim, acabou cedendo o empate e por muito pouco não saiu derrotado, não fosse o pênalti perdido pelos cariocas no fim do jogo.

Mesmo não fazendo uma bela partida, mais uma vez o time jogou com garra. A disposição da equipe segue sendo um dos pontos fortes neste ano. Hoje o que faltou foi um esquema tático que se mostrasse eficiente para dominar o Flamengo.

Os três homens do meio de campo não chegaram muito à frente e acabaram deixando Calleri bastante isolado. O São Paulo parecia ter apenas o chuveirinho na área como sua única jogada.

Calleri, aliás, novamente foi o destaque do São Paulo. Hoje, tanto pelo lado positivo quanto pelo negativo. O argentino é um craque, tem faro de artilheiro e provou isso novamente marcando os dois gols do São Paulo. O que não pode é ser expulso por uma criancice como essa. Sua saída prejudicou muito o time.

Entendo também que o bom elenco do São Paulo foi mal utilizado hoje; as substituições não deram resultado e o time, depois que ficou com dez homens em campo, apenas procurou se defender e segurar o empate. Acabou conseguindo, graças ao pênalti desperdiçado e também à boa partida do goleiro Denis.

Mesmo com as dificuldades que o jogo apresentou, acho que, com o elenco que tem, o São Paulo poderia ter feito uma partida melhor.


Vexame: Brasil eliminado da Copa América
Comentários 33

Abilio Diniz

O Brasil conseguiu a proeza de ser eliminado da Copa América na primeira fase. O grupo da nossa seleção tinha o Peru, o Equador e o Haiti e duas equipes se classificavam às quartas-de-final da competição. O time de Dunga terminou em terceiro lugar. É uma grande vergonha.

A derrota para o Peru foi a gota d’água de uma campanha que vem ruim desde as Eliminatórias e apenas foi confirmada nesta Copa América.

Na partida deste domingo, a Seleção Brasileira foi muito superior no primeiro tempo. O time mais leve que foi escalado fez com que a seleção dominasse o meio-campo e não tivesse problemas na defesa. Alisson não pegou na bola. Faltava um pouco mais no ataque, mas a qualidade dos jogadores brasileiros se sobressaía.

Philippe Coutinho foi o destaque da primeira etapa, mostrando que pode merecer um lugar no time, mesmo com o retorno de Neymar. O Brasil poderia ter ido para o intervalo vencendo o jogo, não fosse o gol incrível perdido por Willian e as defesas importantes do goleiro peruano.

No segundo tempo, o Peru voltou melhor e dificultou as coisas para o Brasil. A Seleção não mostrava a tranquilidade do início do jogo. Dunga tirou Gabriel, um pouco disperso, e colocou Hulk. Mas quem saiu na frente foi o Peru.

Não importa se foi com a mão, com a barriga ou com a coxa; o fato é que o Peru fez o que o Brasil não conseguiu fazer: o gol. Vale lembrar que, contra o Equador, fomos favorecidos pelo árbitro que anulou gol legítimo do adversário em falha de Alisson.

O Brasil precisa jogar mais do que isso; não pode ficar sujeito a tomar um gol e ser eliminado. Agora, acabou a Copa América e vêm as Olimpíadas e as Eliminatórias.

Vai continuar tudo assim? Para o bando encastelado na CBF está tudo bem? Vamos só colocar a culpa no árbitro?

Os brasileiros merecem mais do que isso.


Empate entre Inglaterra e Rússia mostra o que é o futebol
Comentários 1

Abilio Diniz

Sou um apaixonado por futebol e gosto de acompanhar o maior número possível de partidas para observar as disputas táticas entre os treinadores, as características dos jogadores e o estilo de jogo de cada equipe. Hoje, em especial, vi o empate por 1 x 1 entre Inglaterra e Rússia, pela Eurocopa.

Foi um grande jogo e que mostrou bem o que é o futebol. A Inglaterra jogou muito melhor, pressionou o tempo todo, teve mais posse de bola e criou bastante chances de gol. Acabou não vencendo.

O time inglês marcou seu gol em bela cobrança de falta por parte de Dier, mas nos acréscimos, aos 46 minutos do segundo tempo, sofreu o empate numa falha coletiva de toda defesa, inclusive do seu goleiro Hart.

Placar injusto? Não, apenas isto é futebol, cheio de surpresas. Gosto muito do futebol Inglês, sempre jogado em alta velocidade e com muita emoção, mas no jogo de hoje sua seleção se superou, fez mais do que costuma fazer. Correu muito, pôs o coração na chuteira e lutou com muita garra. Incrível, não tinha bola perdida.

Já a Rússia era um time inferior, mas lutou até o fim e conseguiu conquistar um empate que parecia impossível.

Futebol é feito desse tipo de disputa. Nem sempre o melhor vence e, por isso, é um esporte apaixonante. Uma boa estratégia de jogo muitas vezes pode ser responsável por uma conquista.

Agora a Inglaterra vai enfrentar o País de Gales que está em primeiro no grupo. Pela rivalidade entre as seleções, só podemos esperar outro grande jogo.

Uma pena que as notícias sobre uma bela partida de futebol tenham que ser divididas com as cenas das brigas entre ingleses e russos, dentro e fora do estádio. Lamentável.


Brasil goleia, mas resultado não serve como parâmetro
Comentários 4

Abilio Diniz

O Brasil cumpriu sua obrigação. Enfrentando uma seleção muito inferior, o time de Dunga fez o que dele se esperava: goleou o Haiti por 7 x 1.

Esse é o tipo de jogo em que não se pode tirar grandes conclusões. O adversário, fraquíssimo, não permite que se faça uma avaliação definitiva.

A maior prova de que a partida não pode servir de parâmetro é que as principais referências e comentários sobre o jogo são pelo placar emblemático de 7 x 1 e a lembrança óbvia da derrota para a Alemanha na Copa. O desempenho da Seleção ficou em segundo plano.

Entretanto, foi interessante ver Philippe Coutinho marcando seus gols em chutes de fora da área, como faz pelo Liverpool, ou Gabriel, indo às redes novamente. São jogadores jovens que têm qualidade para servir à Seleção Brasileira por muitos anos.

Os três gols marcados no primeiro tempo e os quatro no segundo não podem e nem vão iludir o torcedor. O Brasil treinou em campo durante os noventa minutos, fez seus gols como quis e ainda conseguiu levar um, em falha do sistema defensivo.

O que se espera da Seleção de Dunga, há tempos, é uma equipe melhor dentro de campo, atuando com uma tática definida, construindo jogadas, fazendo tabelas, atacando seus adversários e mostrando mais do que se viu até agora.

É inegável que, com esse grupo que temos, é possível mostrar um melhor futebol.

Vamos ver o que Dunga poderá apresentar para o torcedor ainda no decorrer dessa Copa América.


São Paulo supera desfalques e vence Cruzeiro fora de casa
Comentários 16

Abilio Diniz

O São Paulo soube se impor e saiu com uma boa vitória fora de casa jogando contra o Cruzeiro. O resultado é muito importante para as pretensões tricolores no Brasileirão e serve também para dar confiança a um elenco que tem se mostrado muito útil nesta temporada.

O time do Cruzeiro não é nem sombra do time que foi bicampeão brasileiro recentemente e o São Paulo se aproveitou de seu melhor momento técnico para dominar a partida e sair com a vitória por 1 x 0.

Mesmo atuando com vários desfalques, o São Paulo jogou muito bem no primeiro tempo. Bruno e Kelvin faziam ótima dupla pelo lado direito sempre levando vantagem sobre a defesa cruzeirense. Dessa forma saiu o gol de Ytalo, recém contratado do Audax, que substituiu Ganso sem se intimidar.

Aliás, parabéns ao Ganso pela mais do que merecida convocação para a Seleção Brasileira. Tomara que ele possa jogar algumas partidas. Sua qualidade no meio campo certamente vai ajudar o time brasileiro.

No segundo tempo, o São Paulo diminuiu um pouco o ritmo e acabou recuando bastante, fazendo com que o Cruzeiro tivesse muito mais posse de bola. Mesmo assim, a pouca efetividade dos mineiros não resultava em grandes problemas ao time de Bauza. Era o São Paulo que estava mais perto de ampliar o placar atuando nos contra-ataques.

Outra boa notícia foi a entrada de Luiz Araújo no time. É mais um garoto da base que se torna opção no time principal. Esse é o caminho. O São Paulo tem a melhor estrutura do Brasil para produzir novos talentos, igual às melhores do mundo. Basta aproveitá-la com competência.


Empate contra Equador mostra que Brasil precisa evoluir
Comentários Comente

Abilio Diniz

Não foi a estreia dos sonhos da Seleção Brasileira na Copa América. O empate por 0 x 0, na verdade só aconteceu porque o juiz da partida anulou mal um gol do Equador na segunda etapa da partida.

Até que no primeiro tempo, o Brasil jogou bem. Com um futebol muito diferente do que vinha jogando nas Eliminatórias, a Seleção teve algumas oportunidades para marcar e só não conseguiu por erros de finalização.

Desta vez Dunga surpreendeu, com um futebol de toque de bola rápido, valorizando cada jogada, sem que o time precisasse dar chutões contra um bom time do Equador.

Casemiro elevou o nível do meio campo da Seleção, entrando bem e permitindo mais liberdade a Elias.

Já no segundo tempo, o Brasil voltou diferente, jogando em velocidade menor e dando mais espaços ao Equador, que cresceu na partida.

O juiz salvou o Brasil ao anular incorretamente o gol marcado pelo Equador, por ter considerado que a bola saiu totalmente pela linha de fundo. O chute na direção do gol brasileiro resultou em uma falha inacreditável do goleiro Alisson, que colocou a bola para dentro do gol.

As alterações de Dunga, colocando Gabriel no lugar de Jonas, antes do gol anulado, Lucas, no de Willian, logo depois e Lucas Lima para a saída de Elias, essa já no final do jogo, contribuíram para equilibrar um pouco a partida novamente, mas não foram suficientes para que o placar final fosse alterado.

O Brasil precisa ser mais regular durante os noventa minutos de jogo. Não adiantará jogar bem apenas um tempo da partida. Para o jogo de ontem, foi pouco.


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>