Blog do Abilio Diniz

Arquivo : maio 2016

Algo muito importante está surgindo no São Paulo
Comentários 65

Abilio Diniz

O São Paulo vive um momento muito importante em sua história, que pode estar passando despercebido por algumas pessoas.

Dentro de campo, a equipe vem se recuperando de maneira incrível: de eliminado de forma humilhante no Campeonato Paulista, para semifinalista da Libertadores. Como torcedores, voltamos a ter motivos de nos orgulharmos com o nosso time. Esse é um ponto que está à vista de todo são-paulino. Não há controvérsias.

Porém, há em andamento também uma nova movimentação de grande importância dentro do São Paulo. E, se isso continuar, poderá levá-lo a um patamar muito mais alto no cenário brasileiro e mundial.

O Conselho Deliberativo do São Paulo tem assumido a postura que dele se espera, representando os verdadeiros donos do SPFC, que são seus sócios e torcedores. No ano passado, a pressão do Conselho foi fundamental para a renúncia de Aidar. Os conselheiros têm acompanhado e vigiado mais os atos da Diretoria, e isso tem levado o clube a um processo de mais transparência e cuidado em seus atos administrativos.

Foram criados comitês importantes dentro do Conselho. O Comitê Financeiro, sob a responsabilidade de Jaime Franco, com o auxílio da consultoria e auditoria da PricewaterhouseCoopers (PwC), vem acompanhando os atos da gestão na área financeira. Já o Comitê de Ética, sob o comando de Opice Blum, teve a coragem de expulsar os conselheiros Carlos Miguel Aidar e Ataíde Guerreiro.

Mas, infelizmente, a diretoria comandada por Leco ainda não entendeu que os tempos de “dono” do clube estão ficando para trás e ficarão cada vez mais, à medida que os conselheiros estão cada vez mais atuantes.

Um exemplo claro disso é o profundo desrespeito de Leco com o Conselho Deliberativo ao contrariar a decisão do órgão sobre o afastamento de Ataíde Guerreiro, para, dias depois, reconduzi-lo ao cargo de Diretor de Relações Institucionais do São Paulo.

É inadmissível que um presidente se sobreponha a uma decisão soberana dos representantes dos mais de 6.000 associados que estão participando ativamente do destino de algo que lhes pertence: seu time do coração.

Isso só reforça a necessidade de mudanças na gestão para que o nosso São Paulo seja um time ainda mais vencedor. A mais importante delas é a elaboração de um novo estatuto social. Em virtude de questões jurídicas, o SPFC é obrigado a criar um novo estatuto e levá-lo à aprovação da Assembleia dos Sócios.

É uma excelente oportunidade de modernizar a gestão do clube e transformá-lo novamente em exemplo para o futebol brasileiro e mundial, criando uma nova governança que dê o poder a quem de direito: os sócios e seus representantes, os Conselheiros.

Por isso, a reunião de hoje do Conselho Deliberativo pode dar sequência a esse processo de participação mais efetiva no futuro do São Paulo, exigindo respeito às suas decisões e mostrando que é o associado o verdadeiro dono do clube.


Vitória no clássico confirma bom momento são-paulino
Comentários 37

Abilio Diniz

Gostei muito do jogo no Morumbi. Foi uma bela partida e uma grande vitória do São Paulo. Os dois times são muito semelhantes em relação às propostas táticas adotadas e por isso é preciso valorizar, além do resultado, o domínio tricolor e a imposição de seu ritmo de jogo durante a partida.

Antes de comentar o jogo especificamente, não posso deixar de expressar minha tristeza e estranheza ao ver um clássico do quilate de São Paulo x Palmeiras com apenas uma torcida presente. É uma pena que a situação tenha chegado ao ponto de não podemos ter o calor dos torcedores das duas equipes dividindo as arquibancadas.

Dentro de campo é preciso destacar o ótimo momento que o São Paulo vive e como o técnico Edgardo Bauza está conseguindo dar confiança e personalidade ao time.

Não consigo entender como Ganso não está na Seleção Brasileira. O meia são-paulino está jogando muito. Na defesa, Maicon está soberano, dando grande estabilidade a todo setor. No meio-campo, Thiago Mendes é um craque e voltou a jogar como no ano passado, e na frente Kelvin e até Centurion estão jogando em grande velocidade potencializando o sistema ofensivo do time.

Essa movimentação do São Paulo foi a responsável pelo gol de Ganso no primeiro tempo. O meia tricolor apareceu como um centroavante dentro da área para finalizar de cabeça.

No segundo tempo, o São Paulo foi muito melhor e, se não fosse a grande atuação de Fernando Prass, teria aplicado uma goleada no Palmeiras. Falou mais alto o elenco são-paulino, superior ao palmeirense.

O time de Cuca é bem dirigido, mas falta qualidade em alguns setores e os jogadores do São Paulo souberam se aproveitar disso, dominando a partida e saindo vitoriosos do confronto.

O resultado positivo de hoje segue comprovando a franca evolução do time do São Paulo. A equipe vem se afirmando e conquistando bons resultados em partidas mais importantes.


Real Madrid leva título da Champions League em final emocionante
Comentários 2

Abilio Diniz

Sobrou emoção da final da Champions League. Depois de uma verdadeira batalha física, o Real Madrid foi mais competente que o Atlético nos pênaltis e levou a 11ª taça da maior competição europeia de clubes.

O primeiro tempo da decisão foi morno. Tecnicamente não foi um jogo à altura de uma final de um campeonato desse nível.

Eu não gosto do estilo de jogo do técnico Simeone. Ele afirma que joga apenas para ganhar e não para dar espetáculo. Hoje, na primeira etapa, o Atlético apresentou um futebol pobre, de muita marcação e com certa dose de violência.

O Real atuou melhor e saiu na frente, mas depois do gol, recuou aguardando o Atlético para jogar no contra-ataque. Não funcionou porque o time de Simeone só avançava com muito cuidado e acabava não dando espaços para as investidas do Real.

Casemiro era soberano no meio de campo. Comandava as ações e demonstrava total controle de sua posição. Espero que jogue assim na Seleção Brasileira.

No segundo tempo, o jogo mudou. Zidane, além de posicionar mal o time, não mexeu bem, enfraquecendo a equipe com suas substituições. O Real se encolheu e deu espaços para o Atlético crescer e mandar no jogo a ponto de ter um pênalti a seu favor, não convertido por Griezmann. Mesmo assim, a pressão não acabou até acontecer o empate.

É verdade que o Real teve duas oportunidades claras para matar o jogo, mas o gol não saiu.

Na prorrogação o que se viu foi um desgaste completo dos atletas, em fim de temporada. Era um festival de câimbras dos dois lados até que o juiz apitou o fim do jogo.

A emoção seguiu dando as cartas nos pênaltis Uma bola da trave do Atlético tirou os 100% de aproveitamento nas cobranças e deu ao Real Madrid mais um título da Champions League e a vaga para disputar o Mundial de Clubes da FIFA no final do ano.

Em um final emocionante venceu a equipe com maior tradição e qualidade individual.


São Paulo apenas empata em Curitiba
Comentários 12

Abilio Diniz

O São Paulo poderia ter tido melhor sorte no Paraná. O empate por 1 x 1 contra o Coritiba não refletiu o que foi o jogo, principalmente no segundo tempo. A superioridade tricolor só não foi efetivada porque o goleiro adversário estava em noite inspirada.

O primeiro tempo não foi uma maravilha tecnicamente falando. Muita correria e pouca qualidade. Mesmo assim, o São Paulo criou algumas chances e foi ligeiramente melhor que o Coritiba.

Se ontem o São Paulo tivesse um esquema de jogo que fosse bem executado, certamente sairia com o resultado logo na primeira etapa.

Na volta do intervalo, o São Paulo começou melhor, mas sofreu o gol em uma jogada de escanteio. Mesmo assim, o placar adverso não desesperou, nem desanimou os jogadores do time do Morumbi.

A mudança de Bauza, tirando Auro e colocando o bom Rogério, deu resultado. Minutos depois de ter entrado, o atacante, em jogada individual, se livrou do marcador e acertou um belo chute da entrada da área, empatando o jogo. Rogério é outra opção interessante que o São Paulo tem. Pode ser mais utilizado.

Uma pena que o São Paulo não conseguiu voltar do Paraná com os três pontos na bagagem. Mesmo assim, novamente, é preciso destacar a união e a garra dos jogadores. O time luta muito, independentemente de quem está dentro do campo.

Esse é um grande mérito do técnico Bauza. Ele tem conseguido motivar o elenco e fazer com que todos desempenhem suas funções com muita entrega. O são-paulino percebe isso.

Ainda é início do Campeonato Brasileiro e por enquanto são quatro pontos em três jogos. A pontuação não é excelente, principalmente pela derrota em casa para o Internacional. Já a campanha fora é boa, com uma vitória e um empate. Se o time conseguir se impor no Morumbi durante a competição, certamente estará brigando no alto da tabela.


São Paulo luta até o fim, mas perde para o Internacional
Comentários 10

Abilio Diniz

Foi um bom jogo no Morumbi. O São Paulo atuou com muita garra, vontade, mas teve pouca competência para conseguir um melhor resultado e acabou derrotado pelo Internacional por 2 x 1.

Hoje, atuando com a maioria dos jogadores titulares, o São Paulo teve pela frente um adversário muito bem montado pelo técnico Argel Fucks e com um goleiro em dia de graça.

A proposta do Inter era bem clara: jogar recuado e explorar os contra-ataques. E foi assim que conseguiu fazer seus dois gols, em falhas de posicionamento do sistema defensivo tricolor.

Sem Thiago Mendes, o São Paulo perdeu em eficiência e não conseguia jogar compacto, o que acabou trazendo como consequência um domínio do setor pelo Internacional. Mesmo assim, o time criou boas oportunidades, que acabaram não sendo transformadas em gol pelo ataque.

Vamos torcer pela recuperação logo nesta quarta-feira, contra o Coritiba, fora de casa.

Apesar da derrota, um fato precisa novamente ser destacado: a garra e entrega dos jogadores são-paulinos. Não se pode criticar a luta e a disposição do time, que correu e buscou o resultado até o fim.

Tive recentemente a oportunidade de me encontrar casualmente com Edgardo Bauza. Em poucos instantes que estivemos juntos, fiquei com uma impressão muito boa dele. Achei o treinador do São Paulo uma pessoa simpática e educada.

Acho que esta postura tem contribuído de forma decisiva para o bom clima entre os jogadores, e feito com que eles lutem sempre com muita determinação. Dessa maneira, o São Paulo passou de time desacreditado à sério candidato ao título da Libertadores.


Competente, São Paulo elimina Atlético na Libertadores
Comentários 61

Abilio Diniz

O São Paulo está na semifinal da Libertadores! Mesmo com a derrota por 2 x 1 para o Atlético, o time do Morumbi garantiu sua vaga entre os quatro melhores times do continente. O gol de cabeça de Maicon, fora de casa, foi o diferencial nos 180 minutos do confronto.

Foi uma partida com dois tempos distintos. A primeira etapa, mais animada, bem jogada e emocionante, com três gols em menos de 15 minutos e duas bolas na trave, uma de cada lado. O segundo tempo, mais truncado e com poucas chances de gol. Bom para o São Paulo, que saiu do Horto com a vaga garantida.

Nem os dois gols marcados pelo Atlético logo no início da partida, em duas falhas do sistema defensivo, foram suficientes para modificar o estilo de jogo do São Paulo. O gol de Maicon serviu para recolocar o time nos eixos e reiniciar o plano tático adotado pelo técnico Bauza.

Mesmo com o jogo mais aberto no primeiro tempo, o São Paulo atuava bem, dominava a partida e procurava controlar o ritmo dentro de campo. O time penetrava na defesa atleticana pelo lado direito, com Bruno e Kelvin, e os volantes tomavam conta do meio de campo, com atuações muito firmes.

O Atlético buscou a vantagem inicial no placar muito mais pelo entusiasmo do que por um esquema de jogo definido. Não havia um domínio evidente e as tentativas aconteciam na base do “abafa”, sem qualquer organização ou tática estipulada e executada.

No segundo tempo, o cenário não se modificou. A diferença foi que poucas chances de gol aconteceram. O São Paulo atuava com competência e muita confiança. Os jogadores trocavam passes com calma e conseguiam segurar a bola e o resultado.

Não deu outra. Fim de jogo e vaga na semifinal. Uma excelente recuperação para um time que por pouco não chegou à fase de mata-mata da Libertadores.

O São Paulo segue mostrando ser muito forte nesta competição. Tem que respeitar essa camisa.


Vitória mostra bom elenco são-paulino
Comentários 27

Abilio Diniz

Boa estreia do São Paulo no Campeonato Brasileiro. Mais do que vencer o Botafogo fora de casa, o resultado de hoje mostra que há boas opções dentro do elenco. Se forem melhor aproveitados, esses jogadores poderão dar muitas alegrias para os torcedores.

A opção clara de preservar os jogadores titulares para o jogo da quarta-feira contra o Atlético era a oportunidade para que aqueles que não tem atuado regulamente mostrarem serviço.

Jogando contra um Botafogo que, na maioria do tempo esteve muito nervoso e mal em campo, o time alternativo do São Paulo cumpriu bem sua missão. O futebol é feito de oportunidades e os garotos da base mostraram suas caras.

O destaque principal vai para Lucas Fernandes, que tem atuado em algumas partidas no time principal e mostrou hoje que tem qualidade suficiente para ser mais aproveitado. Marcou um belo gol de falta, dando ao São Paulo uma boa opção para as bolas paradas.

Gostei do primeiro tempo do São Paulo. O time se impôs, aproveitou bem as fragilidades do Botafogo e construiu seu resultado. Na segunda etapa era natural que os cariocas pressionassem, mas, mesmo assim, não houve grandes problemas. A entrada de alguns jogadores considerados titulares ajudou o time a garantir o resultado e o bom início no Brasileirão. O placar poderia até ser maior, não fosse um gol mal anulado de Centurión no fim do jogo.

A missão agora é na quarta-feira. A boa vantagem conquistada no primeiro jogo contra o Atlético e a vitória neste domingo devem servir como combustível para os jogadores. Estarei na torcida.


São Paulo vence e leva boa vantagem para o 2º jogo
Comentários 29

Abilio Diniz

A vitória por 1 x 0 contra o Atlético-MG pode sim ser considerada um resultado muito bom para o São Paulo. Jogar no Estádio Independência é sempre muito difícil e atuar por um empate é uma vantagem considerável.

Foi ótimo não ter sido vazado em casa, porque marcar um gol em Belo Horizonte obriga os mineiros a vencerem por dois de diferença. Isso em Libertadores conta muito.

O jogo no Morumbi, com mais de 61 mil pessoas, começou muito feio. Os jogadores resolveram esquecer da bola e se preocuparam em disputar quem mandava em campo. No primeiro tempo, a técnica foi deixada de lado para dar lugar a um festival de discussões, faltas, lances mais violentos e cartões amarelos.

Se o São Paulo não tivesse entrado nesse clima e pensado somente em jogar futebol, certamente teria levado vantagem, assim como fez nas ótimas partidas contra River e Toluca.

Aliás, sou daqueles que acreditam que o bom futebol sempre prevalece em cima do que se conceitua como “clima de Libertadores”, “jogo pegado” ou “guerra”. Na grande maioria das vezes, ganha quem joga mais bola. Esse deve ser o espírito.

No segundo tempo, os times, apesar de errarem muitos passes, voltaram mais preocupados em jogar futebol. A entrada de Michel Bastos melhorou o São Paulo e acabou sendo dele, em jogada de bola parada, o gol que deu a vitória ao Tricolor.

Aliás, na comemoração do gol, houve a queda de uma das grades de proteção das numeradas do Morumbi. Uma pena que alguns torcedores que caíram de uma altura de cerca de dois metros acabaram se machucando. Ainda bem que, pelas informações iniciais, nenhum teve ferimentos mais sérios. Mesmo assim, é uma cena que assusta muito.

Depois do recomeço da partida até o apito final, não houve qualquer mudança no cenário do jogo. O São Paulo soube controlar o placar e garantir a boa vantagem para quarta que vem.

Não foi um bom jogo de futebol, é preciso reconhecer. Mas nesta fase da competição, vencer dentro de casa é fundamental. E o São Paulo cumpriu a missão. Parabéns aos jogadores que lutaram pela vitória o tempo todo.


Santos campeão. Que bela final!
Comentários 26

Abilio Diniz

Foi uma grande final de Campeonato Paulista. Uma bela partida, bem disputada, eletrizante, com os dois times com posturas táticas bem definidas.

Dorival Junior armou o Santos para enfrentar o Audax e sua característica de jogo. O time se fechou atrás e atuou por uma bola, e ela veio com Ricardo Oliveira numa jogada de craque. São impressionantes a velocidade e a categoria deste grande jogador de 36 anos.

O Santos deu sorte no primeiro tempo. Só deu Audax. O time de Osasco poderia ter marcado no mínimo dois gols, mas futebol é assim mesmo. No final, quem saiu com a vitória foi o time da Baixada.

O título ficou em boas mãos com o Santos, um time equilibrado, com bons jogadores e muito bem dirigido por Dorival Junior.

É preciso falar também do Audax, o time sensação deste campeonato. Que belo futebol, alegre, ousado e eficiente. Sem dúvida, uma festa para os olhos.

Parabéns aos seus dirigentes, seu técnico, comissão e jogadores. Parabéns Mario Teixeira. Se tivéssemos mais dirigentes como você, o futebol brasileiro seria certamente melhor.

A você, Fernando Diniz, quero dedicar algumas palavras de um amante do futebol e um cara que acredita que as pessoas fazem a diferença.

Você já é um grande técnico, embora muito jovem. Tem grandes qualidades e algumas coisas nas quais pode evoluir muito. Olhe para elas, não se deixe levar pela euforia do momento, busque mais, procure conhecer mais e aprender mais. O homem que busca aprender está sempre crescendo, e pode ter certeza, nunca envelhece. Nunca perca a humildade e seja sempre um vencedor.

A todos do Audax: tenho grande orgulho de vocês!


São Paulo classificado, mas com sinal de alerta ligado
Comentários 54

Abilio Diniz

Muito importante a classificação para as quartas-de-final da Libertadores. Para um time que estava praticamente condenado a ser eliminado na primeira fase, chegar ao grupo dos oito melhores é um feito.

Mesmo com a derrota por 3 x 1 para o Toluca, o São Paulo garantiu a vaga com a ótima apresentação semana passada no Morumbi, quando goleou os mexicanos por 4 x 0.

Mas é preciso dizer que o São Paulo não jogou bem no México. O time do Toluca é muito fraco. Parecia até que eram eles que não estavam acostumados a jogar na altitude. Ainda assim, os mexicanos dominaram a partida e venceram o jogo com muita facilidade.

Achei o time do São Paulo muito nervoso em campo, e isso resultou em graves erros técnicos e disciplinares. O time entrou na pilha dos mexicanos, com muitas jogadas ríspidas, discussões dentro de campo e uma injustificável expulsão de Centurión por cuspir no adversário já nos acréscimos e com o time classificado.

Recentemente li uma entrevista do diretor de futebol dizendo que, em um trabalho de formiguinha, estavam construindo um novo São Paulo, um time capaz de dar muita alegria aos são-paulinos. Espero que ele esteja certo.

Agora, daqui para frente, precisaremos torcer bastante e esperar que o São Paulo na sequência da Libertadores seja aquele time forte, vibrante e matador dos 4 x 0 no Morumbi, não o time que perdeu no México.